2007-05-17

Escuro dos Dias

Nós nunca estivemos presos,
mas desde cedo tivemos medo da liberdade.

Nem nunca estivemos sozinhos,
mas desde sempre tememos a solidão.

E a gente se silencia,
por tentar saber porquê é tão
difícil,
se ver livre das horas,
livre do tempo.

Se deixar jogar ao escuro dos dias.

Nós nunca estivemos tão perdidos,
a ponto de não sabermos o caminho
de casa,
mas falhamos mesmo assim.

Nós jogamos as chaves pelas janelas,
mesmo sabendo que
as portas jamais estiveram trancadas.

Mesmo sabendo
que havia espelhos pelos corredores,
embora a luz já estivesse acesa.

4 comentários:

Vanessa disse...

É meu amigo "nunca estivemos tão perdidos"...

Lena Araújo disse...

Bah, que raiva. ¬¬"
Queria escrever bem assim. Me recuso a comentar mais por pura inveja.

Beijão. :P

Bruna disse...

é Iuri.. faz mto sentido..
nesse tempo corrido de hj nós "nunca estivemos tão perdidos..."
espero q vc se encontre, ou pelo menos descubra q não está tão perdido assim...
bjo!

vida privada disse...

a velha inquietação de insatisfação própria da condição humana...

Obrigada pelo comentário no meu blog! =)